sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013



"Dançar é minha prece mais pura.
Momento em que meu corpo vislumbra o Divino
e que meus pés tocam o real.
Religiosidade despida de exageros,
Desejo lascivo, bordado de plenitude.
Através de meus movimentos posso chegar ao inatingível,
posso sentir por todos os corpos,
abraçar com todo coração,
e amar com os olhos. 
Cada gesto significativo desenha no espaço o infinito...
Pairando no ar compreensão e admiração.
Iniciar uma prece é como abrir uma porta,
um convite à você para entrar em meu universo.
O mágico contorna minha silhueta
ao mesmo tempo em que lhe toco, sem tocar.
Nada a observar, só a participar.
Essa prece, ausente de palavras,
é codificada pela alma
e faz-nos interagir de maneira sublime e hipnótica.
Quando eu terminar esta dança
estarei certa de que não seremos mais os mesmos."
                                                          (Merit Aton)